O titulo dado a esta nova série de Hora do Brasil, é porque aos 70 anos completos que já vivi, não vi nenhuma das questões elementares do nosso país mudarem. Cresceu de modo desordenado, tombou de maneira desastrosa, teve vários ciclos de riqueza para muito poucos, mas não consegue resolver o mais banal dos problemas, conhecido por todos: uma educação universal.

Escrevo sobre nossa Terra, como explico no meu blog, desde criancinha. Ainda jovem fotografei a pobreza no interior do Brasil com um olhar poético porque acreditava ser apenas folclórico.

Os anos se passaram: o Brasil não tem nada de folclórico. Tem pobreza real e destino incerto.

Apesar disso decidi tirar as fotos da gaveta e reeditar o passado.

Como filha da segunda guerra, de imigrantes, aprendi a gostar muito de tudo que já vi por aqui.

Idealizei e trabalhei para o que acreditava ser, apesar uma ajuda ínfima, é verdade, mas uma ajuda para tornar o Brasil grande que todos acreditaram um dia.

Como empresária na área de transporte aprendi sobre todas as suas deficiências de infraestrutura e dificuldades de progredir honestamente. Hoje exponho no meu blog toda esta experiência vivida, em fotos e texto, que presumo ter visto, verdade que como poeta, nos idos da década de 60.